Nasce em 25 de novembro de 1939 em Guimarães .

Adota o nome artístico José de Guimarães, referência à sua terra natal.

1968 - Exposição individual no Museu de Angola, Luanda. Edita o Manifesto “Arte Perturbadora”.

1970 - Termina o “Alfabeto Africano”.

1973 - Exposição individual na Galeria Dinastia, Lisboa.

1976/77 - Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.

1978 - Exposição “Rubens e José de Guimarães” na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.

1981 - Integra a representação portuguesa da XVI Bienal de São Paulo.

1983 - Exposições individuais na Galeria Naviglio, Milão, e na Galeria Juana Mordó, Madrid.

1984 - Exposições no Palais des BeauxArts, Bruxelas, na Galeria René Metras, Barcelona, na Fundação Veranneman de Kruishoutem, Bélgica, e no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.

1985 - Exposição individual na Art Basel e na 18ª Bienal do Middelheim, Antuérpia.

1986 - Ganha o Grande Prémio da 9º Bienal Internacional de Barcelona, realizada sob o tema “Os Desportos nas Belas-Artes”. 1988 Participa na exposição “Singuliers Bruts ou Naifs” no Museu de Arte Moderna da Cidade de Paris.

1989 - No Japão é convidado a construir papagaios de papel Segundo a tradição japonesa, um deles recria a figura mítica de D. Sebastião; exposição individual na Fuji Television Gallery, Tóquio.

1992 - Exposições individuais na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, no Palácio Galveias, Lisboa; na Fundação de Serralves, Porto e no Palácio Nacional de Sintra. Recebe o Prémio de Artes Plásticas, AICA, Portugal.

1997 - Exposição individual no Museu de Arte Moderna da Cidade do México. Intervenção integral na estação de metro de Carnide, em Lisboa. 1999 É inaugurada a escultura “Lisboa”, na praça 25 de Abril, em Lisboa.

2000 - Diversas intervenções urbanas de grande escala em várias cidades japonesas.

2001 - Exposição individual no Museu Würth, na Alemanha. Exposição retrospetiva na Cordoaria Nacional, Lisboa.

2002 - Grande intervenção na estação de metropolitano “Deutsche Oper” de Berlim.

2003 - Exposições retrospectivas na inauguração do Forum Würth, de Basileia, e no Kultur Forum Würth, de Chúr, ambos na Suíça. As edições La Différence publicam uma monografia sobre a obra do autor.

2004 - Exposição “Impérios do Fim”, Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa.

2005 - Exposição antológica “O Imaginário de José de Guimarães” na FIESP, em São Paulo. Estreia o filme “Prova de Contacto” de João Mário Grilo, sobre a obra do autor. 2006 Exposição individual no Museu Afro-Brasil, São Paulo. 2007 Exposição individual no Today Art Museum, Pequim. Realiza “Les Voix Nomades” no Parc Européen pour la Sculpture, em Bruxelas.

2008 - Exposição antológica no Museu Würth, La Rioja, Espanha.

2009 - Exposição antológica no Instituto Camões de Luanda, Angola. Expõe parte da sua colecção de arte africana no Páteo da Galé, em Lisboa.

2010 - Exposição individual no Museu Würth Capena, em Roma.

2011 - Exposição “30 Anos de Prémio AICA/MC”, no Museu do Chiado, Lisboa; exposição “Bronzes e Jades da China Antiga na coleção de José de Guimarães”, no Centro Cultural e Cientifico de Macau, Lisboa.

2012 - Exposição individual no Parlamento Europeu, em Bruxelas; exposição retrospetiva de desenho “Gruta e Crânio”, na Fundação Carmona e Costa, Lisboa; abertura do Centro Internacional das Artes José de Guimarães, em Guimarães, Capital Europeia da Cultura, com a exposição “Para além da história”; Estreia do filme “A África de José de Guimarães”, de Jorge Silva Melo e Miguel Aguiar. Inaugura a exposição “Metropolis – Cities and Citizens” no Suzhou Jinji Lake Art Museum, na China. É eleito Presidente da Sociedade Nacional de Belas Artes.

2014 - Exposição coletiva “Da Cartografia do Poder aos Itinerários do Saber”, no Museu Afro-Brasil, São Paulo; Exposição individual “Provas de Contacto: Do Stencil ao digital: processos de transferência da imagem”, no Centro Internacional das Artes José de Guimarães, em Guimarães; Exposição coletiva “O Ritual da Serpente” no Museu Afro Brasil, em São Paulo.

2015 - Exposição individual “Pintura: Suites monumentais e algumas variações” no Centro Internacional das Artes José de Guimarães, em Guimarães; Edição do livro “José de Guimarães: Um Museu com a Forma do Mundo”, diálogo com José Jorge Letria, editora Guerra & Paz.

2016 - Exposição individual “Esconjurações na Coleção Millennium bcp e noutras obras de José de Guimarães”, na Galeria Millennium, em Lisboa. Exposição “Pigmalião” na galeria SALA 117, no Porto.

 
Subscreva a nossa newsletter